Etiqueta: Dia Mundial do Coração

29/09/2020
Cuidar das Emoções, Cuidar do Coração!

Hoje, em que se assinala o Dia Mundial do Coração, é sempre bom relembrar que as emoções afetam vários órgãos do corpo, inclusive o coração!

Apesar da associação entre as emoções e as doenças ser debatida desde Hipócrates, ainda na Grécia antiga, apenas nas últimas décadas tem sido devidamente explicada, em grande parte graças à evolução da biologia celular e molecular, genética, neurociências e em estudos de imagem cerebral.

Isto tem permitido trazer à luz as diversas conexões existentes entre os sistemas neuroendócrino, neurológico e o sistema imunológico e, como tal, entre as emoções e as doenças.

Em 1981, o termo “Psiconeuroimunologia” foi introduzido por Robert Ader, exatamente para definir o campo da ciência que estuda a interação entre o sistema nervoso central (SNC) e o sistema imunológico. E, atualmente, diferentes estudos têm também demonstrado que uma variedade de fatores de stress físicos e psicossociais pode alterar a nossa resposta imune.

Razões de sobra para empenharmos esforços a monitorizar o nosso equilíbrio emocional! Saber peneirar as emoções ou, dito de outra forma, desenvolver a nossa inteligência emocional, pode ser determinante para a saúde e fazer uma grande diferença na nossa qualidade integral de vida.

A experiência da Diretora Clínica da Sintricare

Ainda nos seus “anos de aprendizagem, na universidade, e posteriormente na formação como psicoterapeuta”, Cristina Santos, Psicóloga e Diretora Clínica da Sintricare, recorda que sempre ouviu que “implodir as emoções “más” era um veneno para o corpo, porque o nosso encéfalo está integrado num corpo que interage numa dança perfeita, para o bem e para o mal!”.

Também sempre ouviu dizer que “a maior fragilidade dos terapeutas é o coração” e, talvez por isso, gosta da imagem que tem quando está em consulta. Aliás, “se soubesse desenhar, colocaria essa imagem de uma forma mais visual: Vejo o meu coração como uma peneira onde passa a história, as preocupações, os problemas, as impossibilidades de quem escuto… com a alma! Depois o que sai, o que tenho obrigação de devolver, será algo já mais limpo, sem tantos grumos, mais solto, mais fino e transparente.”

Como tal, “esta peneira tem que estar o mais limpa possível das minhas impurezas, por isso, é fundamental cuidar desta casa no seu todo para melhor peneirar a história dos outros”, salienta.

Cuide das suas emoções que está a cuidar do seu coração!!

Malcare WordPress Security