Pesquisar
Pesquisar

Etiqueta: contar histórias

Novembro 15, 2017

Ali estava ele. Só. Desolado. No meio do deserto imenso… Areia, pedras, pedras, areia… olhar perdido no vazio. A noite descia repentina e gélida sobre o deserto escaldante. Então, o céu estrelado, tudo envolvia. Só céu redondo, escuro, profundo, longínquo… Aqui e além o brilho das estrelas e da lua davam-lhe luz. Uma luz azul, branca, por vezes trémula, ou insidiosa e forte sobre a sua cabeça. Silêncio… um silêncio de morte rodeava o homem. À sua volta o deserto jazia mudo e frio. Levantou-se um vento intenso que lhe trazia grãos finos de areia. A pouco e pouco sentiu-se envolver por ela… morna, doce, penetrante. A sensação era boa. Lembrava-lhe a praia… quando há muitos anos atrás ia para a praia adorava rebolar-se na areia. Molhava-se, nadava e quando chegava à areia rebolava-se nela. Por vezes escavava um buraco, em forma de caixão, e metia-se nele. Cabeça de fora, coberto de areia. Era uma sensação tão boa… Regredia assim a um mundo de envolvências, sentires, doçuras indizíveis e ondas de prazer. A praia, a praia, aquela praia longínqua da sua infância… Era uma praia linda, imensa, com ar selvagem e extenso areal. Rochedos pontiagudos, escarpas agrestes, mar bravio. Por vezes, no Inverno, passava horas sentado a olhar o mar. Esse olhar descansava-o, amansava a sua dor, aplacava a sua imensa ansiedade e fazia-o mais feliz! E o vento, batendo-lhe na face, lemb

Julho 1, 2015

O momento de contar uma história ao seu filho pode proporcionar grandes ganhos quer para a vossa relação afetiva, quer para o desenvolvimento verbal, emocional e psicológico da criança. Uma história é um instrumento valioso, pleno de sensações, sentimentos, valores e ideias com uma bagagem emocional indispensável ao desenvolvimento intelectual. Experimente algumas das seguintes dicas e disfrute de bons momentos em família: 1. Descubra quais as histórias que o seu filho mais gosta e respeite os seus gostos. Poderão numa loja de livros/ biblioteca descobrir o que mais lhe agrada. 2. Tente que a linguagem utilizada seja compreensiva. 3. Acompanhe a narração com mostras de surpresa; através da voz é possível transmitir sensações de alegria, de um certo temor, de expectativa, etc. Estas variações irão cativar a sua atenção e demonstra-lhes a nossa imersão na história, o que é diferente de uma leitura mecanizada. 4. Crie o hábito de contar uma história todos os dias. Existem vários momentos em que o poderão fazer, no entanto, uma história à hora do deitar poderá ser um bom momento relaxante. 5. Pode ir variando entre histórias de livros, ou da sua imaginação. 6. Pode utilizar objetos para enriquecer e variar uma história (por exemplo: uma bola que fala, um fantoche, etc.) ou ir acompanhando a história com sons que enriqueçam o que está a acontecer, sejam estas feitas através da voz,